LEIRIA | Cursos de Culinária Macrobiótica | NOVAS DATAS!!

INSCRIÇÕES ABERTAS!!

Faça agora a sua Inscrição e garanta o seu lugar nesta maravilhosa aventura culinária!!

 

Datas para o Nível I:

  • Pós-laboral, 3ª-feiras, das 19h às 22:30h: 6, 9, 16 de Dezembro

 

Datas para o Nível II, agora com aulas práticas! 

  • Pós-laboral, 5ª-feiras, das 19h às 22:30h: 23, 30 de Outubro e 6 de Novembro – TURMA COMPLETA!!
  • Pós-laboral, 5ª-feiras, das 19h às 22:30h: 4, 11 e 18 de Dezembro

 

Datas para o Nível III* agora com aulas práticas! 

  • Pós-laboral, 5ª-feiras, das 19h às 22:30h: 13, 20 e 27 de Novembro 

* Os alunos que já fizeram o nível I, podem optar por fazer qualquer um dos outros níveis.

Para mais informações entre em contacto connosco através do. TLF.: 244 092 459 | TLM.: 92 540 68 61,  ou E.: imp.leiria@e-macrobiotica.com

 

ESTRUTURA DOS MÓDULOS

Ao longo de 3 aulas, os participantes aprendem a confeccionar menus equilibrados, a escolher os ingredientes certos, a usar as técnicas de corte e os estilos culinários mais apropriados.

Duração: módulos de 3 aulas

Carga Horária: 12h

Preço: 120 €, refeições incluídas

Onde: IMP-Leiria (a 5 min. da Praça Rodrigues Lobo)

Inscrição: No acto da inscrição deve ser feita uma sinalização de 30€, o restante montante, 90€, deverá ser pago no primeiro dia do curso. O pagamento pode ser feito através de transferência bancária, se não lhe for possível fazer a inscrição aqui nas nossas instalações.

Todos temos a consciência de que aquilo que comemos influencia a nossasaúde e o nosso bem-estar, mas muitas vezes sentimos dificuldade em fazer uma alimentação correcta, alegando falta de tempo ou até mesmo de alternativas que permitam cozinhar de forma equilibrada e ao mesmo tempo saborosa.

Este curso de culinária pretende desconstruir mitos, ajudando os participantes a descobrir que a cozinha saudável é muito mais fácil e praticável do que se julga. Para além de ser também deliciosa.

Em cada aula aprenderá a cozinhar menus variados, feitos com ingredientes naturais e, na medida do possível, biológicos.

Como escolher os melhores ingredientes, os métodos culinários mais benéficos, como usar a proteína vegetal, como substituir o açúcar nas sobremesas… estes são apenas alguns dos tópicos a abordar.

Esta é uma excelente oportunidade para esclarecer todas as dúvidas sobre a prática correcta de uma alimentação saudável e perceber que, afinal, não temos que abdicar do prazer de comer quando comemos bem.

FORMADORA

Marta Horta Varatojo  

Tem 31 anos e pratica uma alimentação macrobiótica desde que nasceu. Pode dizer-se que o seu percurso se distingue por uma constante mutabilidade. Desde cedo desenvolveu um fascínio pelas actividades artísticas, passando por uma série de experiências de curta duração, música, teatro, moda, fotografia, dança e escrita, e é, sem dúvida, na área das artes, que se sente como peixe na água.

Entre 2004 e 2006 trabalhou no Instituto Macrobiótico de Portugal e frequentou os cursos: Curso Curricular de Macrobiótica, nível I e II e o Curso de Feng-Shui, nível I.

Em 2007 e 2008 trabalhou na área de produção de eventos, no One World Festival, em Inglaterra, com a Produtora de Moda Helga Carvalho e no Boom Festival, em Portugal.

Aprendeu a cozinhar com a sua mãe, Geninha Horta Varatojo, professora e autora de 4 livros de culinária macrobiótica. Desde 2009 que trabalha como cozinheira macrobiótica, em Portugal e no estrangeiro, dando aulas de culinária em casas particulares e facilitando caterings em diversos eventos (retiros, festivais, etc).

Em Setembro de 2011 mergulhou num projecto desafiante, o IMP – Leiria,onde gere o espaço, tem o serviço de refeições Take-Away e dá cursos de culinária.

O melhor trabalho do mundo… e um até já, que vou de férias!

Daqui a umas horas entro de férias,  e quem  acabou de ver as fotos pergunta, mas então e isto era o quê, não eram férias?  Não, mas quase! 🙂

Estas últimas duas semanas tenho estado numa herdade no Alentejo a cozinhar para uma família, que é como se fosse um bocadinho minha também. Foi com a E. que a minha aventura culinária começou há 5 anos atrás, apareceu na minha vida assim em forma de surpresa boa, numa altura em que estava sem trabalho e com a renda de casa para pagar… ok, não estava a pensar nisso, mas vou contar a história de como virei cozinheira! 🙂

Janeiro de 2009, despedi-me do meu trabalho e tinha 2 semanas para arranjar alguma coisa. Decidi tirar dois dias para meditar sobre o assunto e fui ter com uma grande amiga, a R., que estava a viver na Raposeira, uma pequena aldeia, perto de Sagres, no Algarve.

Bem cedo pela manhã sentei-me e comecei o meu exercício de visualização… o que é que eu me imagino a fazer? O que é que quero…? A primeira imagem que me veio foi uma cozinha, um ambiente familiar e eu a cozinhar contente e a cantarolar. Logo de seguida lembrei-me que por vezes vão ao Instituto pessoas há procura de professoras de culinária ao domicílio. Liguei à minha mãe, contei-lhe e ela disse-me, ok, estou aqui a pensar numa pessoa, mas acho que não é por aqui, dá-me umas horas para pensar no assunto que já te digo qualquer coisa.

Passaram duas horas e ela liga-me de volta: Martinha esteve cá a E., uma cliente nossa muito querida, falei-lhe em ti e ela está interessada, vai ligar-te à tarde.

Na semana seguinte estava a trabalhar em casa da E., numa cozinha absolutamente fantástica, bons materiais e utensílios, despensa recheada com os melhores ingredientes e frigorifico cheio de  vegetais biológicos, um autêntico atelier criativo para mim que adoro inventar receitas! Para melhorar todo este cenário, temos a E., uma mulher maravilhosa e inspiradora, que puxa por mim, me dá liberdade para criar sem limites e…. me faz sentir como se fosse da família. 🙂 Foi e é um dos encontros mais felizes da minha vida!

E passaram 5 anos desde então, muita coisa aconteceu, muita água rolou, sou cozinheira agora, sim cozinheira e não chef, que eu continuo a gostar da coisa bem informal e familiar, sou uma cozinheira, assumida, concretizada, feliz e grata, muito grata, muito, muito, muito grata!!

É verdade, daqui a umas horas entro de férias… e apetece, claro que sim, tem sido um ano intenso, mas sabem que mais, já estou com saudades deste trabalho, da vida no campo e das pessoas lindas que conheci aqui. Daqui de onde vos escrevo, da minha cabaninha de madeira na areia, vejo a Horta mesmo à minha frente… vou lá agora, buscar coisas boas para o almoço, que está mesmo na hora, na hora de ir praticar a magia!

Desejo-vos um óptimo Verão, bem pertinho da família e dos amigos, com muita comidinha boa, um Verão cheinho de sol, e mar, e florestas, e ar puro, breathe in and out… deeply… aproveitem para ir para a Natureza e visualizem tudo aquilo que desejam ver na vossa vida, resultou comigo e continua a dar frutos! 😉

pLim * fui * até já

m *

Dieta Nº7. Quem aceita o desafio?

Então o desafio é, como sugere o titulo, a Dieta Nº7, que consiste em 10 dias seguidos a Arroz Integral. Vou começar esta quarta-feira, dia 14 de Novembro. Fazer esta dieta em conjunto é mais divertido e motivador, lanço o desafio a quem me quiser acompanhar nesta aventura, assim poderemos partilhar a experiência passo a passo, que aviso já, é intensa.

A quem quiser participar peço que me envie um e-mail para macroexotic@gmail.com ou faça um comentário no blog, para que eu possa ficar a conhecer um pouco a pessoa e avaliar se é apropriado para a sua condição de saúde fazer esta dieta, também podemos introduzir alguns (poucos) alimentos extra que podem ajudar a manter a dieta até ao fim.

Ultimamente tenho andado pouco activa e muito indisciplinada, sinto que o meu organismo está a precisar de uma limpeza e como já fiz esta Dieta algumas vezes sei que é exactamente aquilo que estou a precisar.

A Dieta Nº7 tem a duração de 10 dias, pelo facto do nosso plasma sanguíneo demorar esse tempo a renovar-se, limpando os excessos e abrindo espaço para novos padrões energéticos no organismo. No modelo das 5 Transformações, temos o elemento água, árvore, fogo, solo e metal e a cada uma destas energias estão associadas diversas características. O arroz integral corresponde à energia metal, que sugere forças de condensação, organização, intuição, decisão, disciplina, etc.

É um alimento excelente para desenvolvimento intelectual e espiritual e, de um ponto de vista físico, beneficia particularmente os pulmões e o intestino grosso, sendo um dos melhores alimentos para tratar problemas intestinais.

Os orientais consideram também que o arroz aumenta a energia ki, ajuda a aliviar a depressão e acelera a eliminação de toxinas.

Ora vamos lá ganhar coragem. Eu vou… vem comigo! 🙂

Segue-se o link com a receita: Receita de Arroz Integral

re.Começar com Optimismo.

De volta a Leiria, ainda a aterrar, mas pronta para re.Começar!

Venho de coração cheio, a transbordar mesmo. Foi um Verão em viagem, como eu gosto… vivi novas experiências e sensações, conheci caras novas, pessoas lindas, ri até chorar e sorri… muito! Passei dias inteiros com os meus amigos do coração, acordei em frente à praia, dancei, mergulhei no mar de todas as praias por onde passei, apaixonei-me de novo e outra vez.. e volto assim, feliz com a vida.

Durante este mês reflecti sobre o meu estilo de vida, há muito que ando a tentar mudar várias situações e nem sempre é fácil. Mas venho motivada e com objectivos a cumprir, e, assim sendo, elaborei um plano de acção, um cocktail de coisas simples que já resultaram no passado e sei serem essenciais para o meu crescimento e evolução.

Palavra chave: Disciplina, eu e ela temos tido um relacionamento atribulado, mas sei que nos vamos tornar grandes amigas, é agora!

Aqui fica a minha lista de conquistas diárias para este re.Começar:

  • Deitar e levantar cedo – o plano é ir no máximo até à meia-noite e levantar-me às 7h. Este é um verdadeiro desafio para mim, normalmente por volta das 23h começo a despertar, sou capaz de ir pela noite dentro em tertúlias criativas e depois claro custa-me horrores sair da cama de manhã. Ontem deitei-me às 23h, hoje foi easy-peasy saltar da cama às 7h!
  • Yoga – começar logo pela manhã cedinho, faço em casa com os vídeos do site Yoga Journal. Este link vai directo para o programa 21-Day Yoga Challenge. Durante 21 dias recebem no vosso e-mail um vídeo com a aula do dia seguinte. Inscrevam-se! Eu sou fã!
  • Meditação – tenho pouca prática, mas é um facto que me faz sentir bem. A meditação tem efeitos positivos para o cérebro e para o sistema imunológico, reduzindo significativamente estados de ansiedade e confusão mental. Também no site Yoga Journal podem inscrever-se no Meditation Revolution, durante 28 dias irão receber no vosso e-mail todas as dicas para aprender a meditar, bem como um áudio de meditação guiada de 10 min. Eu pratico de manhã, a seguir ao Yoga, e ao final do dia, antes de ir dormir.
  • Pequeno-Almoço – Não tenho fome de manhã e (confesso) sou até capaz de enfiar um café no estômago em jejum, pois é, eu sei, q´horror, tão pouco macrobiótico! A verdade é, estou longe de ser a menina exemplar e nem faço tenção de o ser, no entanto, tenho consciência das minhas escolhas e vou arquitectando planos para conseguir mudar aquilo que vejo não me ser útil, umas vezes funciona, outras não, mas não desisto. E então, o meu pequeno almoço vai passar a ser: um caldo de miso e um delicioso creme de arroz, com um molho de manteiga de amendoim, pasta umeboshi e geleia de arroz.  Em breve dou a receita do creme de arroz.
  • Andar de Bicicleta – Desde miúda que adoro andar de bicicleta. Entretanto, a minha estava, literalmente, a enferrujar. Ora porque a corrente precisa de WD40 e eu me esqueço consecutivamente de ir comprar, ou porque os pneus estão completamente vazios e eu não encontro a bomba, que está perdida na arrecadação (espero). Bom, hoje o sr. Zé da mercearia, meu vizinho, trouxe a bomba e deu mais uns toques que eram precisos, et voilá! Tenho a bina pronta! Todos os dias a seguir à loja vou dar uma volta, apanhar ar fresco e vento na cara. Para ver se saio um bocado aqui da rua. E a primeira voltinha é já hoje.. apetece-me tantooo!
  • Remédios Caseiros – Escolhi três e vou alternando. Kuzu para regular o metabolismo e aumentar a vitalidade; Caldo de Vegetais Doces para curar a minha hipoglicemia; e Chá de Feijão Azuki para energizar os rins, que depois dos excessos de verão bem precisam. 
  • Alimentar a Paixão – 1h por dia vai ser dedicada a algo que me apaixone, às actividades que me fazem esquecer que o tempo existe, e as opções são estas: desenhar, pintar, escrever, dançar, costurar, estudar o Ki das 9 Estrelas e aprender mais sobre cristais.

E é este o plano, comecei ontem, so far so good, estou Optimista. 🙂

O Yoga faz-me bem * dicas para praticar em casa *

Há muito que estou familiarizada com a prática do Yoga, frequentei o Centro Português de Yoga e pratiquei quase sempre com professores que lá fizeram a sua formação,  é um Yoga dinâmico, com foco nos Asanas, as posturas físicas. É o ideal para a minha constituição/condição física, tenho um pouco de tendência a estagnar e este estilo de Yoga mantém-me activa. A única altura da minha vida em que vi umas saliências elevarem-se nos meus braços, músculos portanto, foi quando estava a fazer yoga 3 vezes por semana, passados 3 meses seguidos o meu corpo estava completamente em forma, tonificado, flexível, vivo.

Cá em Leiria inscrevi-me no Yoga Samkhya, apesar de ser bastante diferente do que estava habituada, satisfaz as minhas necessidades e estou agradavelmente surpreendida.

Entretanto queria começar a fazer em casa e enviei um e-mail ao João Rijo, professor de Flow Yoga no IMP, para saber se ele me podia aconselhar um DVD de exercícios. Prontamente me respondeu com a indicação de um site, o Yoga Journal. Estou completamente fã, tem imensos vídeos grátis, de nível iniciados, intermédio e avançado. O site está muito bem estruturado, é de fácil pesquisa e a qualidade dos exercícios é muito boa.

Ontem fiz 2 aulas, cada uma tem a duração de 20 min., a Twist and Detox e a Fluid Nature, hoje de manhã fiz o Summer Break (em baixo estão algumas imagens). Hoje doem-me os músculos, é bom sinal!

Experimentem que vale mesmo a pena… Obrigada pela dica João, em cheio, estava mesmo a precisar desta ajuda! 😉

Energia ki – O Que É?

“Um dos princípios fulcrais da filosofia e medicina orientais assenta num conceito basilar denominado “ki” no Japão, “chi” na China ou “prana” na Índia.

Os orientais consideram que tudo o que existe possui uma qualidade invisível e subtil que está na origem da criação da matéria: ki. Nos idiomas ocidentais, este conceito é geralmente traduzido por energia ou energia electromagnética. No entanto, o ki não é efectivamente energia, na acepção comum da palavra, nem corresponde às kilocalorias de Newton. Consiste, isso sim, numa qualidade invisível que está muito próxima da nossa percepção sensorial. Ki é a sensação que temos quando estamos próximos de uma cascata imponente que nos revigora; quando nos encontramos junto de uma montanha que nos inspira a procurar o melhor que existe em nós; quando estamos na presença de uma pessoa com um carisma especial ou perto de alguém que nos estimule ou nos intimide.

O ki não é facilmente observado (apesar de isso ser possível e de existirem pessoas que o fazem naturalmente), mas todos podemos sentir esta energia fluir quando estamos motivados, inspirados, apaixonados, quando nos sentimos impelidos a ultrapassar os nossos limites, quando a nossa vida decorre sem estagnações ou preocupações.

Sentimo-la mais facilmente quando estamos em contacto com a Natureza ou quando nos encontramos em ambientes especialmente carregados desta energia.

O ki é muitas vezes, e creio que de forma apropriada, apelidado de “sopro da vida” e a forma como esta energia flui define grandemente a qualidade de vida e a saúde de todos os fenómenos, incluindo os seres humanos. Para os orientais, a saúde é o reflexo de um fluxo adequado, saudável e livre de estagnações de energia ki, sendo que este princípio se aplica tanto aos seres vivos, como à vida inorgânica ou aos espaços físicos criados pelo homem.

Nos seres vivos, animais ou vegetais, um fluxo apropriado de ki resulta em vida, poder, brilho, sexualidade, magnificência, saúde. Por outro lado, as estagnações ou o excesso de ki podem ter como consequência a doença, falta de vitalidade, indolência, bloqueios e imensos outros aspectos, em geral considerados negativos.”

EXERCÍCIO

Se deseja sentir esta energia, experimente fazer o seguinte exercício:

1. Estique os braços e vire uma mão para cima e outra para baixo. Feche as mãos de forma que a ponta dos dedos bata na zona carnuda da base da mão. Repita este movimento três vezes à medida que inspira e expira (expire quando fechar a mão).

2. Inverta agora a orientação das palmas das mãos (a que estava virada para cima, fica virada para baixo e vice-versa) e repita o exercício mais três vezes.

3./4. De seguida, coloque as palmas das mãos frente a frente e, lentamente aproxime-as e afaste-as até sentir uma “bola” de energia no espaço entre elas. O formigueiro, o calor ou qualquer outra sensação que tenha é ki. É esta energia vital de que tenho falado até agora.

Se não conseguiu sentir nada, não se preocupe e volte a repetir o exercício mais tarde. Apesar de a maioria das pessoas conseguir ter percepção do ki a primeira vez que realiza este exercício, outras, por variadíssimas razões, podem ter que o repetir algumas vezes.”

Excerto tirado do livro “Mente Sã Corpo São” de Francisco Varatojo

O meu livro de cabeceira…

Agora, todas as noites, agarro no meu livro de cabeceira, O Mente Sã Corpo São, é de um tal de Francisco Varatojo das macrobióticas! Disse-me a minha vizinha, que já foi lá ao consultório em Lisboa, e gostou muito, parece ser muito boa pessoa, ouço dizer maravilhas do senhor, bom, continuando, então sublinho no livro aquilo que sei me pode ajudar a melhorar a minha qualidade de vida. Na realidade, são as pequenas escolhas, que somadas, fazem toda a diferença. Por exemplo, acontece-me muitas vezes sentir-me ansiosa e apercebo-me, passado um bom bocado, de que não estou a respirar como deve de ser… tenho que me relembrar, várias vezes ao dia, de respirar mais profundamente, então, ontem sublinhei esta:

“Ki e Respiração.

(…) Por exemplo, um maior foco na inspiração faz a energia ki subir e sentirmo-nos mais criativos, ligeiros. Uma expiração mais longa reforça a vitalidade e a resistência, o controlo e a disciplina.

De uma forma geral, a nossa respiração deve dar um pouco mais de ênfase à expiração e ser mais centrada na zona abdominal.

Exercício

Sente-se direito  sem ficar tenso e sem se encostar às costas da cadeira.

Coloque as mãos no regaço: a mão esquerda sobre a direita.

Inspire e expanda a zona abdominal, expire e contraia-a. (De início terá provavelmente dificuldade, uma vez que a maioria das pessoas respira ao contrário.)

Faça o exercício lentamente, com uma expiração seis a sete vezes mais longa do que a inspiração (pode contar, o que também o ajudará a concentrar-se no exercício), durante alguns minutos.

Esta é uma prática excelente para realizar todos os dias, particularmente eficaz para aumentar a vitalidade e confiança, melhorar a digestão e as funções respiratórias.”